Porta dos Fundos e Publicidade

O Porta dos Fundos, canal do youtube de cunho humorístico, é o mais recente case de sucesso da internet. Com seu humor ácido e inteligente, que passa longe do politicamente correto, a produtora usa situações cotidianas para render algumas risadas aos internautas. O sucesso é ainda mais evidente quando as esquetes – geralmente o canal é atualizado duas vezes por semana – focam em produções que criticam marcas famosas.

 

O primeiro caso aconteceu no “Porta dos Fundos: Spoletto”, quando os humoristas satirizaram o modo como os clientes da rede de restaurantes “sofrem pressão” na hora de montar seus pratos. A repercussão do vídeo foi tamanha, que a própria Spoletto gostou da forma criativa com que o canal realizou a dinâmica entre o consumidor e o funcionário do restaurante. Ao invés de tomar tomar alguma atitude radical, como entrar com processo ou pedido para retirar o canal do ar, o Spoleto decidiu investir, encomendando um novo vídeo sob os mesmos moldes.

 

A produtora, então, criou uma nova esquete, dessa vez do ponto de vista do funcionário, com pedidos de desculpas da rede ao final do vídeo. Tudo isso sem largar o bom humor e as piadas. A partir daí, o fenômeno ganhou reconhecimento para a divulgação de marcas, atraindo o interesse de algumas empresas, que perceberam o potencial que o canal possuía de atrair a atenção de diversos consumidores, com sua forma divertida e escrachada.

 

O fenômeno ganhou reconhecimento e começou a ser procurado por grandes marcas. O atual potencial publicitário e a quantidade enorme de público que utiliza o Youtube tornou ainda mais fácil o diálogo entre marca-consumidor.

 

Aqui pode-se ver o vídeo “Spoleto”:

 

E a Resposta da marca no próprio canal do Spoleto:

 

Atualmente é comum que os humoristas da internet, e não somente as novelas, recebam milhões por Product Placement (popular e erroneamente conhecido como mershandising). Basicamente a marca paga para aparecer no vídeo, e não necessariamente haverá uma citação ou referência a ela. Começou com a Itaipava em um dos primeiros vídeo do Porta, a Petrópolis gostou tanto que assinou um contrato para a marca aparecer, sem interferir no roteiro dos humoristas. Aliás este é um diferencial da produtora, embora recebam briefings dos clientes, estes não podem interferir no roteiro do vídeo, assim não prejudica o compromisso deles com o humor, que é o objetivo da produtora, afinal, eles são comediantes.

 

Aqui você pode assistir o vídeo “Já Volto” do Porta dos Fundos com o discreto Product Placement da Itaipava:

 

O humor inteligente do Porta dos Fundos, tem tudo a ver com a era do Marketing 3.0 – o Marketing da era digital -, em que é preciso que as empresas aceitem a voz que o consumidor ganhou através das redes.  As marcas já perceberam que não adianta enganar ou tentar calar o consumidor, pelo contrário é necessário dar voz a este, ouví-lo e melhorar para que este se identifique com a marca.

 

A equipe do Porta dos Fundos está presente em vídeos mais recentes de outras empresas, como o da Fiat, que ultrapassou as 7 milhões de visualizações em dois meses de publicação:

 

O sucesso dos vídeos tem gerado mais visualizações e consequentemente maior busc da produtora pelas empresas. Há um interesse das marcas de associarem sua imagem ao humor, transmitindo ao target a conexão com o lado bom (humorístico) da vida. O professor George B. Rossi, professor de marketing na ESPM, em reportagem para a Folha de São Paulo, diz que  “Uma mensagem transmitida com humor tende a ser muito mais bem lembrada do que se fosse inserida em outros contextos”. Alem do mais a divulgação da mensagem é feita na internet, onde é alcançada por mais pessoas, compartilhada e divulgada, o que mais uma marca pode querer?